Cândido Rodrigues (Enamorada da Colina): voltando no tempo

Cândido Rodrigues (Enamorada da Colina): voltando no tempo

Última atualização em 22/02/2021, 17:25h por A Trombeta

Por: Célia Ap. Maruca Nucci

Em 1906, o então presidente  da republica, Afonso Augusto  Moreira Pena, dando impulso  ao povoamento do interior, amplia a rede ferroviária. Então o francês Paull Dellouse, amplia sua  obra,   a Estrada de Ferro Araraquara (E. F. A). Operários rasgam picadas em busca das margens do Rio Paraná.

Nesse mesmo ano, a picada da futura ferrovia chega aqui, local que seus moradores chamavam de “Campinho”, “Campin”  para os imigrantes italianos.

Instala-se uma parada de trem em área de terras doada por  Saulle Borghi a qual havia sido comprada  de João Pradi. Interessante notar que enquanto a maioria das povoações surgia em torno  de uma capela, Cândido Rodrigues surgiu por força dessa parada de trem. O progresso seria a causa do seu aparecimento.   A  área  foi loteada, lotes vendidos e, já em 1907, começaria a edificação da futura povoação subordinada a Monte Alto.

Nesse mesmo ano, enquanto ocorria lento e trabalhosamente o avanço do leito da ferrovia, constava já no local, mais ou menos a quantidade de três dezenas de casas, das quais destacavam se: Casa do Comércio de Nicola Cosenino, Hospedaria de Luiz Borghi, Padaria de Francisco Barufaldi, Farmácia de Ettore Galgani, Loja de Ennio Montagnana,  Fábrica  de cerveja de Auto Borghi, e  estas quase todas na atual rua São Paulo e ainda  a Máquina de

Benefício de Café e Arroz e Moinho  de Fubá dos irmãos Negrelli e Cia. Na zona rural, embora predominasse a formação de cafeeiros, as culturas do arroz, milho, feijão mostravam-se promissoras.

Cita-se que  o  primeiro trem parou em Cândido Rodrigues em 8 de fevereiro de 1908, quando o povoado já se chamava Albuquerque Lins, em homenagem a Manuel Joaquim de Albuquerque Lins, 1852-1926.   Ele  foi advogado, lavrador e político brasileiro.   Aqui os comboios da ferrovia fizeram seu ponto final por quase um ano, até que o leito atingisse a cidade de Fernando Prestes.  A  nascente povoação  não  ficaria, no entanto, com  o   referido nome..

Em escritura lavrada em 20 de novembro de 1908, conforme consta do livro 45, às fls. 24 verso, arquivada no cartório de Primeiro Ofício de Monte Alto, cita-se que Saulle Borghi e esposa vendem a Luiz  Próspere e outros uma  área  de terra na povoação  e   que nessa  operação, recebeu a denominação  de Cândido Rodrigues em homenagem ao  general Antônio Cândido  Rodrigues, que na época era Secretário da Agricultura do Estado de São Paulo. Foi também Ministro da Agricultura e Senador da República.

O distrito de Cândido Rodrigues foi criado pela lei estadual  nº 1602, de 10 de outubro de 1918,   pertencendo a Taquaritinga.  Pela lei 5285, de 18 de fevereiro de 1959, pelo então governador do estado, prof. Carlos  Alberto de Carvalho Pinto, foi promulgada sua emancipação político-administrativa.  Em 3 de outubro de 1959 realizam-se as primeiras eleições municipais .O novo município passa então  por um surto de progresso mais  rápido, obtendo-se  nesse quadriênio a instalação do Posto de  Puericultura,  criação  da Delegacia  de Polícia,  aquisição  de moto niveladora, construção  de pontes, bem como outras benfeitorias.

Em 1915 ganhou sua primeira capela, doação de Domingos Albano, tendo como padroeiro Santo  Antônio. Também nesse ano, os amantes do futebol vêem realizado seu sonho: Francisco Gonçalves Mendonça, coronel da Guarda Nacional doa uma área para essa finalidade. Em 1916, com a chegada da iluminação elétrica, instala-se a primeira escola. Em 1920 por cessão do sr. Rizzieri Poletti, instalava-se a primeira unidade  oficial escolar,  na época, denominada “Escolas Reunidas”, em local que,  posteriormente,   ampliada e adaptada serviria  de Grupo Escolar, criado em 7 de abril de 1932.

Imagem: foto da primeira estação ferroviária de Cândido Rodrigues. Autoria não definida.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *