Tecnologia 5G permite conectividade mais confiável e instantânea

Tecnologia 5G permite conectividade mais confiável e instantânea

Última atualização em 13/08/2021, 5h46min por A Trombeta

A implementação do 5G no Brasil tem impactos importantes que trazem benefícios em diversas áreas. Um exemplo é o Robô Hospitalar, desenvolvido por meio de uma parceria entre a Escola Politécnica (Poli) e o Hospital Universitário (HU) da USP.

Leopoldo Rideki Yoshioka, professor do Departamento de Engenharia de Sistemas Eletrônicos da Poli e coordenador do projeto, afirma que a tecnologia da quinta geração traz avanços importantes na conectividade, como o aumento da velocidade de conexão, a densidade de aparelhos conectados simultaneamente, a confiabilidade e a diminuição da latência, ou seja, um tempo de resposta mais instantâneo. “Esses avanços permitirão novas aplicações”, explica Yoshioka ao Jornal da USP no Ar 1ª Edição

A tecnologia 3G permitiu que os aparelhos se conectassem à internet e a 4G aumentou essa conectividade, mas ainda de forma limitada. A tecnologia  5G permite conexões sem atraso que eram impossíveis nas gerações anteriores. Isso possibilita que os aparelhos sejam controlados remotamente.

O Robô Hospitalar é um exemplo prático desses avanços. Inicialmente pensado como um robô para delivery, o projeto foi adaptado para ser utilizado no Hospital Universitário com o objetivo de reduzir o contato entre as pessoas e evitar a disseminação do coronavírus.

Yoshioka conta que o robô é controlado por um aplicativo de celular semelhante aos aplicativos de delivery de alimentos. “Quando a enfermeira precisa de um remédio, ela o solicita usando o aplicativo. A solicitação chega para a farmácia, que entrega o remédio para o robô, ou seja, coloca no compartimento e ele autonomamente faz a entrega.” 

O funcionamento é possível por conta da capacidade de alcance e softwares de Inteligência Artificial. O professor explica que para perceber o ambiente o robô tem câmeras e sensores similares aos smartphones. “Ele consegue usar essa inteligência para trafegar dentro do hospital com segurança e confiabilidade.”

Implantação de 5G é oportunidade do Brasil avançar em áreas como agricultura, saúde e indústria

A chegada da tecnologia 5G no Brasil deve expandir ainda mais o mercado de novas tecnologias, mas também ajudará outras áreas de serviços, que aproveitariam o avanço para ter uma conexão mais veloz e eficiente. No intuito de discutir a implantação dessa tecnologia no País, a Escola Politécnica (Poli), o Instituto de Estudos Avançados (IEA) e o Instituto de Relações Internacionais (IRI) da USP estão organizando um ciclo de debates chamado A Implantação de 5G no Brasil. Em sua quarta mesa, o debate será focado nas implicações políticas da adoção e implantação do 5G no Brasil.

“O processo do 5G está se iniciando no mundo inteiro, em que há uma parte regulatória, uma parte de políticas publicas e uma outra parte de implementação. O 5G é uma mudança tecnológica não só no uso de celulares e na velocidade de conexão, mas de toda uma mudança tecnológica que vai afetar a saúde, vai afetar a agricultura, a indústria, serviços financeiros e todos os demais aspectos da sociedade social e econômica”, explica o professor Stefan Salej, do Grupo de Análise da Conjuntura Internacional (Gacint) do IRI-USP e vice-presidente do Conselho Superior de Comércio Exterior da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).+ Mais

Em entrevista ao Jornal da USP no Ar 1ª Edição, Salej comenta que precisamos saber o que vamos fazer com essa nova tecnologia e que este elemento vai ser a base do desenvolvimento social em um primeiro momento. Dois questionamentos norteiam a implantação: o que isso vai significar para o cidadão comum e o que vai significar para a nação em termos de desenvolvimento econômico. O professor afirma que essa “é a possibilidade do Brasil passar para um outro estágio de desenvolvimento”.

Devido aos problemas sociais e econômicos do Brasil, uma parcela significativa da sociedade não participará dos passos de regulação, debate e implantação. Juntando-se a isso, temos a ausência de investimentos, por parte do governo, no setor tecnológico.

Texto: Jornal da USP
Imagem: Pixabay

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.